MAPA POÉTICO DAS ESCOLAS WALDORF NO BRASIL

Os nomes das escolas inspiram suas comunidades, mas qual foi a fonte de inspiração para nomes tão expressivos? O mais significativo olhar é para a Infância: Tempo Encantado, Recanto do Fazer, Pequeninos, Ser Criança, Crianças de Luz, Toquinho de Gente, Pequenos Sonhadores, Oficina dos Sonhos, Sonhos, Ensino Vivo, Ciranda, Cordão Dourado, Kântele, Aquarela, Abraço, Acalanto e Acalento. Todos nós concordamos que o melhor ambiente para a infância sem dúvida é uma casa e temos Casa Áurea, Casa do Bosque, Casa Vivá, Casa Ametista, Casa Amarela e Casa Buriti com um lindo Quintal como no Nosso Quintal, Quintal Mágico, Quintal da Serra, Quintal das Borboletas, Quintal do João Menino, Quintal do Sol, Quintal dos Sabiás e Quintal da Mantiqueira.

Para nós brasileiros a aldeia é também um lugar para o brincar: Aldeia Viva e Aldeia Akatu e chegamos aos nomes indígenas: Aitiara, Guara-mirim, Quaraçá, Mossoró, Anabá, Apoema, Pitangatú, Joá, Areté, Moara, Calumby , Curumim, Curumim da Terra, Ibirá Ibá, Murundú, Paranaguá, Amanayé, Maturi, Pariquera-açú, Moitará, Amanari, Arandú, Ecóporan, Samaúma, Txai, Guayi, Guayí-Mirim, Aracê e Tatuí e também aos afros como Magê Molê.

pedagogia waldorf educação infantil

Temos outros nomes bem brasileiros como Caliandra, Candeia, Mantiqueira, Querência, Amazonas e Buzios. E, claro, Brasilis, Nossa Terra com sua Bela Vista que vemos Serra, Vale de Luz, Vale Encantado, Monte Azul e Horizonte Azul. Nossa Mãe Terra ou Gaia. Sem dúvida um Saber do Campo com um Pézinho na Terra onde vivem o Eco do Mato e Meninos no Mato.

Mato é um jeito bem brasileiro para Bosque, Bosque Alecrim, Campo das Tulipas, Cerrado e Pomar e lá encontramos Limeira, Araucária, Bacuri Jatobá, Cambará, Coqueiral, Dendê da Serra, Ipês, Jequitibá, Manacá, Paineira, Airis, Pequizeiro e Angelim. Tem até Taquara e Milho Verde, nosso Ouro Verde, um Grão Saber com Semente e Sementeira, um Semear na Primavera com um eterno Florescer onde Flores, certamente Belas Flores com o mais variado colorido na Artemísia, Pinha Carmim, Flor Amarela, Capim Limão, Capim Dourado, Flor de Baobá, Alecrim Dourado, Contas, Amarilis, Alecrim, Flor de Lotus, Bromélias, Flaboyant, Flor da Montanha, Flor de Jambo, Flor do Sol, Ipê Amarelo, Margarida, Girassol, Girassois, Girassol Encantado, Flor do Ipê, Bella Girassol, Jasmins, Flor de Mandacarú, Jasmim Estrela, Jasmim-Manga e Sempre Viva. E um olhar para as frutas nos Limões, Amoras, Cacau, Cajueiro e Limão Rosa que se voltam para o Sol, Rumo do Girassol, Trilha do Sol, Brilho do Sol, Sol de Olinda, Sol Dourado, Filhos do Sol e Solaris. Também tem lá no céu Arco-Íris, Pingo de Luz, Relicário de Luz, Lume e Lumiar. E quando anoitece têm Estrelas, Estrelas Guia e Haluares com Vagalume. E quando amanhecer veremos: Estrela da Manhã, Alvorecer e Aurora. Para encontrarmos no: Ninho, o Nosso Ninho, os Passarinhos que são Sabiá, Andorinhas, Beija-Flor, Bem-te-vi, Colibri e João de Barro. E têm Borboletas e Casulo e também Jataí e Colmeia.

A Fonte de inspiração também está além do céu visível: Micael e suas variações: Arcanjo Micael, Michaelis, Miguel Arcanjo e São Micael e ainda Arcanjo Raphael e Querubim. Também tem nomes do mundo imaginativo: Íris, Ícarus, Kairós, Sofia, Flauta Mágica, Bela Liria e a fonte de inspiração também está embaixo da terra através dos Cristais, Aurum, Lazuli e Turmalina.

Existem nomes que tem sentido para as suas comunidades: Anael, Crearte, Ecoara, Ghimell e Recrearte ou nome de cidades como Projeto Salva Dor, Waldorf São Paulo, Waldorf Recife e Waldorf Santos. Também nomes não tão conhecidos como José Souza de Jesus mas também reverenciamos pessoas que conhecemos, trabalhamos juntos e com elas aprendemos como Leonor Bertalot, Maria Eugênia e Rudolf Lanz. Mas certamente os nossos grandes inspiradores foram Bertha e Emil Molt, Marie Steiner e Rudolf Steiner.

Também temos nomes celebres como Francisco de Assis, São João, Emanuel e Novalis. Nossas poetisas Cecilia Meireles e Cora Coralina e o grande João Guimarães Rosa. Fonte de inspiração também é o universo de suas histórias: Buriti, Sagarana, Sertão Veredas e Veredas. O próprio Riobaldo explica o que é vereda: “O senhor veja: Rio é só o São Francisco, o velho Chico. O resto pequeno, é vereda.” E chegamos ao Caminho das Águas, à Fonte e tem até Vitória Régia. E depois vem o Mar, Maramar e Cores do Mar.

Temos palavras significativas: Alternativa e Bem Viver. E, para finalizar, palavras para nosso exercício diário: Viver, Conviver, Renascer e Vir a Ser.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square